06 dezembro 2005
  coluna GLS
coluna publicada em 27/11 na Revista da Folha © copyright: Folha de S.Paulo

Entre céu e inferno
[por Vange Leonel]

Estabeleça uma dicotomia e você irá notar mais as diferenças do que as semelhanças. É claro que homens e mulheres ou héteros e homossexuais têm lá suas particularidades, mas quem disse que são totalmente opostos ou excludentes?

A bioantropóloga Sarah Hrdy especula que essa tendência para dicotomizar talvez seja um instinto humano. Nós percebemos as diferenças entre homens e mulheres, céu e terra, mente e corpo, e acabamos por contrapor essas categorias para percebê-las melhor. Mas podemos também opor mulher e menina, céu e inferno, terra e mar, mentes objetiva e subjetiva. Ou seja, podemos criar sucessivas dicotomias a perder de vista.

Essa propriedade dicotomizadora da mente pode ser útil para processar informações, mas também pode nos enganar e aprisionar. Afinal, homens e mulheres são muito mais parecidos do que reza o folclore, e mente e corpo, por exemplo, já não estão mais cindidos à luz da ciência.

Assim, a propensão à dicotomia deveria vir acompanhada de um lembrete: "Dualidade provisória para fim de análise em alto-contraste". Porque na vida existem nuances, os limites se dissolvem, e as coisas mudam de figura se jogamos sobre elas uma luz diferente.

Como o mercúrio usado pelos alquimistas para unir e separar os elementos, nossa mente talvez tenha potencial para operar com a mesma flexibilidade: dividindo e juntando, incessantemente. Homens e mulheres, héteros e homossexuais ou inferno e céu podem ser muito parecidos e estar intimamente ligados na maior parte do tempo.

------------------------------------------------------------------------------------------------

e como sou totalmente aberta a críticas e comentários, aproveito e publico aqui no blog a carta de uma leitora, em resposta a esta mesma coluna:

"Todo fim de semana é a mesma coisa, Vange Leonel simplesmente deixa a coluna sem sentido. Não agüento mais ler a mesma coisa sempre. A última, 'Entre céu e inferno', foi pura falta do que escrever." Ana Paula Portes, 22, webdesigner

------------------------------------------------------------------------------------------------

Marcadores:

 
Comments:
mas ela continua lendo...
 
Sinceramente, não costumo ler a coluna da Vange, porém, julgo o comentário da Paula completamente impertinente com relação a esse texto.
Partindo do pressuposto que as "palavras refratam", conforme postulou Bakthin, e mais, que o leitor é co-autor do texto, cabe ao indivíduo saber ler nas entrelinhas, impriimir a sua carga de subjetividade ao mesmo, uma questão de mímesis, pois só assim poderá (re)construir um significado próprio, e muitas vezes maior do que a intenção do autor.

O texto, em si, é muito bom. Leva à uma boa reflexão.
Muito bom, Vange. Parabéns.
 
hum, primeiro quero "estrear" aqui dizendo que é uma grande, grande, grande, grande novidade a fundação do blog da vange!!!! comemoro!!!

em segundo, acho que a garota de 22 anos lá tá um pouquinho "platônicapaixonada", não tá, não? porque, se uma coisa é "pura falta do que escrever", por que é que alguém vai escrever dizendo que aquilo que foi escrito é "pura falta do que escrever"? hummmm...
 
Se essa Paula não gosta de ler a coluna de Vange, por que motivo continua lendo? Mas fique sabendo que há pessoas que apreciam muito ler Vange e ouvir as músicas dela!! A Paula deve mesmo é continuar a ler revistinhas da walt disney e coleccionar bonequinhas cute, que de certeza não complicam o seu espírito ainda tão verde.
Black Bird
 
pedro, andréa e blackbird, benvindos aqui!

olha, depois de quase 8 anos escrevendo colunas gê-éle-ésses nos mais variados espaços, de vez em quando eu mesma tenho a sensação de que tudo já foi dito (ou escrito). Mas acho que há sempre uma nova maneira de dizer a mesma coisa e, infelizmente, nessa área (digamos que eu faça proselitismo anti-homofobia e anti-sexismo) é preciso repetir a mesma coisa trocentas vezes, de fato. E não me envergonho disso.
 
ah, vange, que nada... eu não ouço ninguém falar que o amor é tema batido ou repetitivo, a cada vez que surge alguma nova canção ou um novo escrito sobre o amor, ou a cada vez que joão gilberto canta de novo a bossa nova e o amor e o sorriso e a flor... já se for sobre o amor gay, é bem possível que alguém pule correndo pra dizer que o assunto tá velho, batido ou não faz sentido... como (não) cantaria o ataulfo alves, o pânico nessa gente é uma arte...

ai, fui relembrar e não resisto )também tá bem passadinho e desgastadinho, mas não deixa de ser bem bonitinho, né?):

"pois é"
(ataulfo alves)

pois é, falaram tanto que dessa vez
a morena foi embora
disseram que ela era a maioral
e eu é que não soube aproveitar
endeusaram a morena tanto tanto
que ela resolveu me abandonar

a maldade dessa gente é uma arte
tanto fizeram que houve a separação
mulher a gente encontra em toda parte
só não encontra a mulher que a gente tem no coração"
 
essa música o atá fez sobre e para mim, hihihihihh
 
porra, não, e isso é que é legal né?: "não aguento mais ler". imagina o dia que a coisa não seja obrigatória: talvez a guria fique mais feliz. =P
cara, crítica de destrutivo caindo pro anódino é totalmente desprezível...
ai ai.. dicotomar or not.. that's the big question.. rs...
 
Postar um comentário



<< Home

Minha foto
Nome:
Local: São Paulo, SP, Brazil

Cantora, compositora, colunista GLS e proto-escritora. Lésbica e feminista. Atualmente assina a coluna GLS da Revista da Folha no jornal Folha de S.Paulo e a coluna "Vange Leonel" no Mix Brasil.

mais informações:
BLOG Home
MySpace
Twitter


Vange Leonel

Criar seu atalho







ARQUIVOS
Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Agosto 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Dezembro 2007 / Janeiro 2008 / Fevereiro 2008 / Março 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Junho 2008 / Julho 2008 / Agosto 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Janeiro 2009 / Fevereiro 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Fevereiro 2010 / Março 2010 / Abril 2010 / Setembro 2010 / Outubro 2010 / Novembro 2010 / Fevereiro 2011 /






LIVROS
Balada para as Meninas Perdidas
Grrrls - Garotas Iradas
As Sereias da Rive Gauche




MEMÓRIAS DE UMA MULHER MACACA
Capítulo 1
Capítulo 2
Capítulo 3
Capítulo 4
Capítulo 5
Capítulo 6
Capítulo 7
Capítulo 8
Capítulo 9
Capítulo 10
Capítulo 11
Capítulo 12
Capítulo 13
Capítulo 14
Capítulo 15
Capítulo 16
Capítulo 17
Capítulo 18
Capítulo 19
Capítulo 20
Capítulo 21
Capítulo 22
Capítulo 23



CDs
Vermelho
Vange
NAU



TEATRO
As Sereias da Rive Gauche
Joana Evangelista



WEB
Mix Brasil
MOJO: Atrás do Porto...





Radio Liberdade
















BLOGS FAVORITOS
Cilmara
VAE
Marcia
Elisa
Pedro






Creative Commons License
Reproduçõees do conteúdo deste blog só serão permitidas se estiverem de acordo com as regras estabelecidas pela Creative Commons Attribution-NonCommercial 2.5 License.

Os textos da Coluna GLS, têm copyright da Folha de S.Paulo e só poderão ser reproduzidos sob permissão da empresa.




Powered by Blogger